Exercícios de baixo impacto

Não é incomum no cotidiano sofrermos algumas lesões que afetam diretamente os nossos movimentos diários. Aquela dor insistente na coluna ou no joelho não deve ser ignorada, pois a tendência é agravar o problema se não dermos atenção até aos mínimos movimentos.
A seguir, algumas sugestões de exercícios de baixo impacto que auxiliam na recuperação de músculos, articulações e tendões, bem como suas indicações.

Natação ou Hidroginástica?

Quando imersos em uma piscina nossos corpos recebem a ajuda da física, uma força vertical chamada “empuxo” que permite que nossos corpos sintam com menos intensidade a força gravitacional. Mesmo possuindo o mesmo peso, nos sentimos mais leves, o que possibilita movimentos que fora d’água demandariam maior esforço.

Tanto a natação quanto a hidroginástica atuam no fortalecimento das articulações, tendões e músculos e oferecem baixo impacto, preservando e fortalecendo ao mesmo tempo. Para iniciantes é indicada a hidroginástica, que não requer nenhuma técnica específica, facilitando seu desenvolvimento. A natação é mais intensa e exige controle de respiração e técnicas.

Pilates

O pilates é resultado de um conjunto de técnicas e se tornou um “queridinho” entre os praticantes, isso porque seus efeitos podem ser sentidos com certa rapidez. Quem sofre de dor nas costas encontra aqui um grande aliado, pois além do baixo impacto, o pilates combate a rigidez muscular, corrige e melhora a postura, aumenta a flexibilidade e ajuda a prevenir futuras lesões nas articulações.

Os idosos são os mais atingindos pela fibromialgia, artrite e artrose, e o pilates tem contribuído para o alívio das dores relacionadas a essas doenças. Nessa fase da vida é natural perder parte da estabilidade, mais uma vez, essa atividade ajuda a reestabelecer o equilíbrio; por trabalhar corpo e mente, o praticante adquire maior consciência corporal e consequentemente maior controle sobre si.

É uma atividade altamente relaxante e pode ser praticada em todas as faixas etárias, mais indicado a partir dos 12 anos.

Bicicleta e caminhada

Caminhar é um exercício que fazemos naturalmente, mas é preciso estar atento ao terreno no qual se caminha para evitar torções e distensões, deve-se usar um tênis apropriado com amortecimento adequado ao peso e à distância percorrida, além de manter o ritmo e a postura.

A bicicleta, por sua mecânica, evita o impacto nas juntas que sofrem nossos joelhos durante uma corrida, por exemplo. Além de elevado gasto calórico é uma das maneiras mais divertidas de se praticar exercícios. Caminhar na esteira ou pedalar na ergométrica também traz resultados e uma preocupação a menos quanto ao relevo do solo e obstáculos no caminho.

Baixo impacto não significa baixo resultado, é apenas uma maneira inteligente de recuperar e preservar a musculatura e ligamentos e ainda usufruir dos benefícios desde a perda de peso e tonificação muscular até o equilíbrio da mente.