Câncer de mama: prevenir é melhor do que remediar.

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres e responde por 22% dos novos casos diagnosticados a cada ano, em todo o globo. Fazendo os exames preventivos e diagnosticando a doença em seu estágio inicial, as chances de cura aumentam se compararmos com quem inicia o tratamento já no estágio avançado.

Entre os sintomas que podem levar a esse tipo de câncer, fique de olho em alterações na pele do seio e mamilos (aspecto que lembra a casca de uma laranja) e secreções nos mamilos e nódulos nos seios que não causem dores. Nódulos na axila também devem ser encarados como alerta. Ao se deparar com um desses sintomas, procure ajuda médica.

Para quem possui no histórico familiar a presença da doença, principalmente em parentes de primeiro grau que tiveram câncer de mama antes dos 50, as chances de desenvolver a doença são maiores. Nesse caso, específico, a prevenção por meio do acompanhamento médico deve iniciar a partir dos 35 anos. Os fatores de risco para esse grupo vão desde primeira menstruação precoce até primeira gravidez após os 30 anos de idade.

As formas mais eficazes para detectar a doença em seu estágio inicial são o exame clínico e a mamografia.

No exame clínico, tumores de até 1cm, quando são superficiais, podem ser detectados por um médico ou enfermeira. Esse procedimento deve ser realizado anualmente por mulheres com mais de 40 anos.

Já na mamografia, onde o seio é comprimido no mamógrafo para permitir a geração de imagens detalhadas, lesões em fase inicial são identificadas com mais rapidez. Esse exame deve ser realizado duas vezes por ano por mulheres entre 50 e 69 anos de idade.

Você sabia?
A Lei 11.664, de 2008, estabelece que todas as mulheres têm direito à mamografia a partir dos 40 anos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Hora de prevenir! Cuidar da sua saúde, alimentação e conhecer o seu corpo são os primeiros passos para a prevenção.

1. Obesidade? Estou fora! Adote uma dieta equilibrada e pratique regularmente exercícios físicos. Cuide da sua alimentação! O excesso de peso pode colaborar no risco do desenvolvimento da doença.
2. E aquela cervejinha? Mesmo o consumo moderado de álcool é contra-indicado.
3. Descubra-se! Toque mais no seu corpo! O autoexame das seios é importante e para você se conhecer melhor. Vale ressaltar que ele não substitui os outros exames citados acima.

O que vem por ai?
Os pesquisadores ChieuNguyen e RaviSaraf, da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos, aprimoraram peles eletrônicas, que são tão sensíveis quanto a minha ou a sua, para detectar sinais que remetem ao câncer de mama.

Essa pele é colocada sobre o seio e identifica nódulos suspeitos. Com a ajuda de outros equipamentos, gera imagens de altíssima resolução para que o médico possa diagnosticar com precisão.

Ainda em testes, não há previsão de chegada ao mercado.

Fontes: INCA e Inovação Tecnológica.