Tireoide: causas, sintomas e tratamentos

A tireoide é uma pequena glândula localizada na parte inferior do pescoço, fixada à laringe. Ela é responsável pela produção dos hormônios T3 e T4, que auxiliam no controle dos batimentos cardíacos, na capacidade de concentração cerebral, nas funções intestinais, na respiração celular e na regulação do humor e do ciclo menstrual da mulher. Portanto, o bom funcionamento dessa glândula é fundamental para a saúde do organismo humano.
Entre as doenças mais comuns na tireoide, temos:

- Hipotireoidismo


Ocorre quando a produção de hormônios pela tireoide é menor do que deveria ser. Os sintomas mais comuns desse distúrbio são uma frequência cardíaca reduzida, letargia, depressão, alterações no ciclo menstrual, formigamento nas mãos e maior sensibilidade ao frio.


- Hipertireoidismo


É o contrário do hipotireoidismo, pois é resultado de uma produção excessiva de hormônios pela glândula da tireoide. Nesse caso, os sintomas mais frequentes nos portadores desse distúrbio são uma perda de peso rápida e sem explicação, palpitações cardíacas, sensação de nervosismo, fraqueza muscular e aumento da pressão arterial.


- Câncer da tireoide


O câncer na tireoide é mais comum nas mulheres e, na maioria dos casos, atinge pacientes que possuem um histórico da doença na família, que foram de algum modo expostos à radiação ou que já tiveram alguma síndrome genética. Os sintomas mais comuns do câncer da tireoide são o aparecimento de um nódulo na região inferior do pescoço e consequentemente, rouquidão, tosses duradouras e dificuldade para engolir.


Após ser diagnosticado com qualquer uma dessas três doenças, o paciente deve iniciar imediatamente o tratamento adequado sob orientação médica. No caso do câncer, o procedimento padrão consiste em uma cirurgia e, dependendo da gravidade do tumor, em sessões conjuntas de radioterapia e quimioterapia.


Para o tratamento do hipotireoidismo e do hipertireoidismo, o mais comum é que o paciente precise tomar medicamentos que controlem a produção de hormônios pela tireoide. Porém, também é possível que uma intervenção cirúrgica precise ser feita. Por esse motivo, é fundamental que qualquer um que sinta os sintomas listados acima, principalmente os idosos, procurem o auxílio de um especialista para que os exames correspondentes sejam realizados e, em caso de confirmação da doença, o tratamento certo seja aplicado.

Não existe uma fórmula específica para prevenir as doenças da tireoide. Contudo, a principal indicação é que todas as pessoas acima dos quarenta anos realizem anualmente o exame que mede a dosagem dos hormônios T3, T4 e TSH no organismo. Desse modo, qualquer irregularidade é rapidamente notada e o paciente pode iniciar o tratamento antes de apresentar sinais da doença.


(Ref imagem: http://ulbra-to.br/encena/2015/02/05/Os-males-ocultos-da-tireoide)

Exercícios que ajudam quem tem problema respiratório

Atualmente, estima-se que um em cada cinco brasileiros possuam alguma doença respiratória. Entre as mais comuns estão a asma alérgica, a bronquite crônica, a rinite e o enfisema pulmonar. Na maioria dos casos, os pacientes com problemas respiratórios acabam deixando de praticar exercícios físicos devido ao cansaço, indisposições e fadiga, porém, a adoção de um estilo de vida sedentário tende a agravar essas doenças.


Segundo os médicos e especialistas, a prática de determinados esportes e atividades físicas podem trazer vários benefícios à saúde dos portadores de doenças respiratórias pois eles fortalecem os músculos utilizados no movimento da respiração e auxiliam o organismo a distribuir melhor a quantidade de oxigênio obtida.


Os exercícios recomendados para os pacientes com problemas respiratórios são:


- Natação


É uma das opções mais indicadas para ajudar no tratamento e na recuperação daqueles que possuem doenças crônicas no aparelho respiratório. Isso acontece porque a umidade relativa do ar próximo a uma piscina é mais elevada, fator este que aumenta a quantidade de oxigênio inalada pelos portadores de doenças respiratórias durante a prática da natação.


O contato contínuo e direto com a água também faz com que a mesma atue como uma espécie de agente vasodilatador, contribuindo para uma maior fluidez do sangue pelo organismo. Além disso, os exercícios aeróbicos praticados repetidamente durante a natação aumentam a capacidade de resistência do pulmão, do diafragma e dos músculos intercostais.


- Caminhada


O hábito de caminhar ou correr diariamente é outra atividade bastante indicada para as pessoas com doenças respiratórias pois melhoram o condicionamento físico do paciente, ajudam no controle da respiração e é eficaz no combate a várias doenças como hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade.

A caminhada pode ser facilmente incluída no dia a dia de qualquer um, o que faz dela o exercício mais praticado pelas pessoas com problemas respiratórios.

- Bicicleta

Assim como as caminhadas, o exercício de pedalar ajuda a controlar a respiração e a melhorar continuamente o condicionamento físico. Também fortalece os músculos da perna e do coração, melhora a circulação do sangue e queima muitas calorias. O ideal para quem está começando é pedalar em torno de 15 minutos, três ou quatro vezes na semana.

É importante ressaltar que antes de começar a praticar qualquer exercício físico, as pessoas que possuem doenças respiratórios devem procurar auxílio médico e realizar alguns exames. Através deles, será possível identificar o melhor tipo de atividade física para aquele paciente, de modo a tornar a sua experiência com o exercício mais segura e vantajosa.

Alimentos que ajudam a melhorar a memória

Manter uma alimentação saudável e rica em nutrientes como ferro, carboidratos, zinco e vitaminas é fundamental para a saúde do cérebro e, consequentemente, para um bom rendimento da memória. Através de uma dieta adequada, é possível prevenir doenças degenerativas do sistema nervoso que afetam a capacidade de armazenar memórias recentes no cérebro, como o mal de Alzheimer.


Entre os principais alimentos que são capazes de conservar e melhorar o hipocampo, que é a estrutura do cérebro responsável pela manutenção da memória, estão:


Peixes


É uma fonte essencial de zinco, por isso auxilia no estímulo da atividade cerebral e ajuda a controlar o cansaço. Também é capaz de melhorar a concentração e a memória através da preservação das membranas dos neurônios, o que facilita a troca de informações entre estes.


Frutas vermelhas


As amoras, framboesas e principalmente os morangos protegem os neurônios e também podem reverter déficits de memória. Além disso, são alimentos ricos em vitaminas A, C, E, B1 e B5, o que os torna um componente vantajoso na aprendizagem e na manutenção de informações pelo cérebro.


Ovos


São fontes de um nutriente chamado colina, que está presente na formação dos neurônios e que é capaz de reparar células cerebrais que sofreram algum tipo de dano. Assim como as frutas vermelhas, também são importantes para a memória e para o aprendizado devido a produção da substância acetilcolina.


Alface


Nas folhas e no talo do alface estão presentes a substância lactucina, que é capaz de gerar um efeito calmante e reduzir os níveis de estresse. Dessa forma, o organismo consegue funcionar melhor e reter informações de um modo mais eficaz e duradouro.


Leite


O leite pode beneficiar a memória através do aminoácido triptofano, que auxilia na manutenção de um sono profundo e tranquilo, um requisito fundamental para a boa preservação da memória.


Azeite de oliva


É rico em substâncias que fazem parte das membranas de células nervosas. Por esse motivo, impulsiona a transmissão de informações entre elas e fortalece a memória.


Além de uma dieta balanceada que inclua os alimentos citados acima, é muito importante não pular refeições e tentar comer sempre que possível de três em três horas. Outros fatores como beber bastante água e manter uma rotina de sono tranquila e longa também são determinantes para a saúde do cérebro e para a conservação dos neurônios responsáveis pela memória.